terça-feira, 9 de setembro de 2008

Os motivos que levaram Google a lançar o Chrome

Provavelmente você já ouviu falar bastante do mais novo lançamento do gigante Google. Pois é... o Google Chrome está dando o que falar e já está se tornando uma febre entre os internautas do mundo todo. Se você perdeu alguma coisa do lançamento, pode checar aqui, numa história em quadrinhos que a empresa utilizou como meio de promoção. Outra maneira de se manter informado é conferindo o vídeo abaixo, que saiu na maioria dos meios de comunicação.




Muita gente já criticou. Tem gente de peso listando 7 motivos para você usar e 7 motivos para você não usar. Interessante! Tem gente dizendo também que o Chrome vai chegar na cola do Firefox em apenas 2 anos. E está crescendo... já cresceu de quase 2% para quase 6%, no Techcrunch! Para completar nosso apanhado, tem um pessoal que já postou a cobertura completa!

Dada a devida introdução, o tema deste post me veio após a leitura da matéria no GigaOM sobre o navegador. O artigo fala um pouco sobre os motivos que fizeram o Google gastar tempo e dinheiro em algo que supostamente já está com os padrões estabelecido no mercado do computador de mesa. Mas pode ficar tranquilo, Google não está fazendo besteira.

Uma das especulações mais comuns, por exemplo, seria uma luta direta com o Internet Explorer, da Microsoft. Mas isso não justificaria tal investimento, pois apesar da disputa entre Firefox e IE, a Microsoft detém 75% do mercado.

O foco está voltado para o mundo Mobile. O IE Mobile não tem tanta força e tenta ganhar espaço do Webkit, o browser da série Nokia N60. Além dele, a Microsoft tem que ganhar do Safari, do iPhone. E a Google está visando este mercado, tentando trazer um navegador que dará uma experiência do computador para os dispositivos móveis. E um grande mercado está vindo por aí com os Netbooks e com o próprio Android.

Resumindo, você achava que o principal objetivo do Google era ganhar espaço do Firefox e do IE? Está enganado. O mercado mobile que aguarde a entrada arrasadora do Google Chrome. Quem viver, verá!

3 comentários:

Rodrigo Piva disse...

Ótima análise!
Abraços

João Henrique disse...

Não sei, pra mim parece uma tentativa de melhorar a experiência do usuário no uso de aplicações web, que é o foco do Google. Mas o perigo é que aconteça o mesmo que aconteceu com a Microsoft, cujas tecnologias proprietárias (como ActiveX) fazia com que certas páginas ficassem incompatíveis com outros navegadores

Rodrigo disse...

Muito bom.
Não tinha visto a coisa sob esse aspecto.
Parabéns.